Rock em Cena: 45 rpm

Unir a magia da 7ª arte com temas ligados ao rock é um dos objetivos do Rock em Cena, uma série de iniciativas da Associação Cultural Rock Guarulhos para revelar a rica mistura de duas linguagens artísticas de grande relevância: música e cinema. Nesse artigo, falamos sobre a série da Netflix 45 rpm, que mostra a efervescência da cena musical espanhola nos anos 60, confira:

Série da Netflix combina drama, comédia, rock’n’roll e política para falar da cena musical espanhola

A complexa indústria musical dos anos 60 é o contexto no qual a história de 45 rpm (45 revoluciones) se desenvolve. Ousada e eletrizante, a série da Netflix que estreou em março do ano passado combina drama, comédia, rock’n’roll e política para falar de um dos períodos mais efervescentes da cena musical espanhola, à luz de um dos gêneros musicais que mais incomodava os conservadores.

Enquanto o mundo se rendia às investidas sonoras de bandas como Beatles e Rolling Stones, a Espanha vivia sobre o regime opressor de Francisco Franco. A série expõe um período de ditadura severa, no qual a liberdade e os direitos eram constantemente violados.

Dividida em 13 episódios, com uma média de duração de 50 minutos cada, 45 rpm trata da constituição da gravadora Futura Records pelo visionário produtor Guillermo Rojas (Iván Marcos). Em meio às suas andanças pela charmosa Madri atrás de talentos autênticos e diferenciados, ele se depara com o jovem músico Roberto Aguirre (Carlos Cuevas), numa apresentação relâmpago interrompida pela polícia.

Depois de ser salvo das grades por Guillermo e sua astuta assistente Maribel Campoy (Guiomar Puerta), o trio envereda por inúmeras aventuras ao longo de episódios com um colorido e textura especiais e que mostram todo o glamour da produção artística e musical que pulsava naquela época.
Vale muito a pena conferir!