Little Richard influenciou gerações e moldou o rock’n’roll atual

“O rock’n’roll não foi uma invenção de Elvis Presley. Quem criou isso fui eu”, dizia ele, que morreu neste sábado aos 87 anos

Por Airton Daniel

O autoproclamado pai do rock’n’roll morreu neste sábado (9), aos 87 anos. O cantor e pianista Little Richard alternou em sua carreira por vezes o piano, em outras, a “Bíblia”. Contudo, conseguiu conciliar as duas coisas que julgava serem as mais importantes na sua vida.

Mesmo se levarmos em conta seus vícios com drogas nos anos 1970 e sua opção homossexual, Little Richard foi um dos primeiros artistas a sair do armário.

O cantor esteve no Brasil pela última vez em 1997, em um show em São Paulo. Com 61 anos na época, sua performance não tinha mais aquele estilo incendiário de outrora. Nem por isso, o público que foi ao espetáculo deixou de assistir um show de rock com valor histórico inestimável.

Na oportunidade, ainda era perceptível que ele não havia perdido a noção de palco. Afinal, foi Little Richard quem formulou a base do manual do rock star. “O rock’n’roll não foi uma invenção de Elvis Presley. Quem criou isso fui eu”, repetia sempre.

Anteriormente, ele já havia se apresentado no Brasil em 1994, no Free Jazz Festival.

Legado

Seus maiores sucessos remetiam aos anos 1950, período em que Richard gravou músicas como “Tutti Frutti”. Essa canção, Little Richard  não tinha a intenção de gravar, pois costumava tocá-la de brincadeira em clubes com um letra pornográfica. Com a letra modificada, “Tutti Frutti” acabou entrando quase por acaso no disco e virou seu primeiro sucesso.

E foram vários outros, como “Long Tall Sally”, “Keep Knockin'”, “Jenny, Jenny, Jenny”, “Good Golly Miss Molly”, “The Girl Can’t Help It”, “Rip It Up” e “Lucille”.

Sem dúvida, Little Richard é um dos mais influentes músicos de todos. Se legado é inquestionável e serviu de inspiração para cantores e intérpretes como Elton John, os Beatles e Paul McCartney, Creedence Clearwater Revival, Rolling Stones, Bob Dylan, Jimi Hendrix, James Brown, Michael Jackson, AC/DC e muitos mais.

Em 1986, Little Richard entrou para o Hall da Fama do Rock’n’Roll logo na primeira turma, além de ter sido homenageado com um Grammy pelo conjunto da obra.

Sem dúvida, ele fará falta.

Foto: Robbie Drexhage – Wikimedia Commons