Reunião mostra força e adesão aos objetivos da ACRG

A Associação Cultural Rock Guarulhos (ACRG) realizou na noite da última quarta-feira (26), em sua sede, no Centro, reunião com amantes do rock que realizaram o cadastro no site da instituição. Mesmo a chuva e o trânsito não impediram que pelo menos 40 pessoas comparecessem para ouvir as propostas, projetos e objetivos da instituição, além de darem suas opiniões e sugestões. Parte dos diretores da associação também foram apresentados durante o evento.

“A gente veio aqui para falar a vocês a que viemos e o que pensamos para a Associação Cultural Rock Guarulhos. A nossa missão é difundir o rock’n’roll e preservar a memória do rock na cidade, considerando muitas histórias que precisam ser contadas. Nós não somos uma produtora cultural; pensamos nos nossos direitos, como nós juntos podemos lutar por isso”, disse Rute Barbosa, presidente da associação.

Parte da diretoria foi apresentada durante o encontro com pessoas que fizeram cadastro no site da instituição

Rute também explicou aos participantes do encontro sobre o modo como cada um pode participar e colaborar com a proposta. “A Associação pode ter associados únicos ou coletivos, que podem ser membros de bandas ou de qualquer segmento cultural ligado ao rock. Podemos também ter o associados beneméritos, que são aqueles que contribuem para o rock na cidade, ou financeiramente ou com outro tipo de cooperação”, esclareceu.

Muitos dos participantes apontaram problemas como a falta de organização entre as bandas, a falta de estrutura e mesmo a competição desleal entre artistas que só visam o próprio universo. Diante deste fato, até mesmo quem veio de São Paulo ficou impressionado com a organização da associação, como Camilo Ribeiro, morador da zona leste da capital. “A associação, a princípio, é uma inovação, a gente não está acostumado a ver isso com frequência. O cenário do rock tem muitas bandas que trabalham isoladamente ou poucos grupos que se conhecem e trabalham junto e a associação tem o intuito justamente de trazer todo mundo para o mesmo palco. Todo mundo está disposto, está com otimismo, não tem nada de utópico, é uma ideia pé no chão e está sendo muito bem conduzida com abertura para a opinião da galera. Todo mundo está no mesmo barco remando para o mesmo lado”, disse Ribeiro.

Pelo menos 40 pessoas participaram, fizeram críticas e deram sugestões sobre o que pode ser feito no cenário rock

O guitarrista Saulio Ito e o baterista Lalau, ambos da banda Rocktrash, também compareceram para conhecer as propostas e ideias da ACRG. “Deu para sentir que as pessoas têm muita vontade e estão nessa porque gostam, querem fazer música e todos têm algo a acrescentar e contribuir. Fazer música depende de muita coisa, de equipamentos, divulgação, das ferramentas das redes sociais, então, essa união tem que existir”, observou Saulio.

Muitas ideias foram dadas por todos que compareceram ontem. A consultora de moda Sabrina Avila, por exemplo, deve somar ao trabalho da associação dentro da parte social. Acostumada com o trabalho voluntário em asilos e escolas, Sabrina argumentou que muitos dos eventos e projetos da ACRG podem ter como foco ações de solidariedade, como a arrecadação de alimentos, por exemplo. “Não existe presente maior do que doar seu tempo, para estar com aqueles que mais precisam, uma forma de responsabilidade social que pode transformar a nossa sociedade”, disse Sabrina. Outras ideias como workshops, produção de conteúdo, eventos de pequeno, médio e grande porte também foram discutidos.

 

Para o vice-presidente Jamil Alarcon Pilli, o encontro objetivou reunir não apenas músicos das bandas, mas também pessoas envolvidas com o meio musical, como jornalistas, fotógrafos, produtores e cinegrafistas: “O alcance que a ACRG atinge vai muito além do fortalecimento da cena rock da cidade e mostra que todos juntos, podemos muito mais”, disse.

Texto de Eurico Cruz e Carla Maio