6ª Mostra Guarulhense de Cinema conta com a exibição de mais de 40 filmes produzidos em Guarulhos

Promovida pelo Cineclube Incinerante, edição conta com documentário em homenagem ao poeta Francisco Grosso

Entre os dias 24 de outubro a 1º de novembro, o Cineclube Incinerante promove a 6ª Mostra Guarulhense de Cinema, edição que, neste ano, em razão do distanciamento social provocado pela pandemia da COVD-19, será realizada de forma virtual. Nesse período, os filmes serão exibidos através das plataformas digitais do Cineclube Incinerante, no site http://www.mostraguarulhensedecinema.com.br/, na fanpage no Facebook https://www.facebook.com/MostraGuarulhenseDeCinema/ e no canal do YouTube https://www.youtube.com/channel/UC0EcRiYuMcQCyGRpTWLvQ4w.

Para a 6ª Mostra, foram selecionadas mais de 40 produções cinematográficas, dentre os mais de 100 filmes inscritos. O critério adotado pela curadoria do Cineclube Incinerante é que os filmes fossem produzidos em Guarulhos de forma independente ou que, sendo realizados fora da cidade, tenham a participação direta de artistas e realizadores de Guarulhos. Durante todo o período da Mostra, os filmes ficarão disponíveis para apreciação do público.

Homenagem ao poeta Francisco Grosso

A 6ª Mostra Guarulhense de Cinema presta homenagem ao poeta Francisco Grosso, artista representante da Cultura guarulhense, que faleceu no último dia 26. Para tanto, o evento exibe Cartas de um Poeta, produção da Cia Bueiro Aberto dirigida pela cineasta Janaína Reis.

Francisco Grosso era assíduo frequentador dos saraus realizados no Espaço Novo Mundo, no Espaço Cultural Bola de Artes e das batalhas de rimas do Slam do Prego. Em seus poemas destacam-se os acrósticos, frases formadas a partir da primeira letra de uma palavra na vertical, que o poeta elaborava para homenagear seus amigos, sempre recebidos com muito carinho por todos.

Janaína Reis conta que conheceu o poeta através da arte-educadora Monique Martins, na ocasião do Sarau Plantar que aconteceu na casa dele. Logo nesse primeiro contato, ela e a equipe da Cia Bueiro Aberto registraram a trajetória de um homem humilde e simples, em um bate papo informal cheio de acolhimento. A entrevista, entremeada por histórias sobre sua relação com a esposa, dona Nemésia, fotografias, discos e narrativas de seu universo particular, tornou-se parte do Sarau Plantar, saiu da sala da casa e ganhou o quintal, envolvendo os demais convidados em homenagens ao poeta que se sucederam por longas horas.

“O documentário resultou da observação de tudo o que aconteceu naquele sarau em homenagem ao Francisco Grosso, revelando a própria ótica do poeta. Ele ficou muito animado com a proposta de fazer o filme, mas não teve tempo de ver o trabalho pronto”, explica Janaina, triste pelo fato do distanciamento social ter impedido uma exibição anterior ao evento de lançamento na Mostra.

Quando o falecimento do poeta Francisco Grosso parecia ter feito o documentário perder o sentido, a cineasta conta que encontrou conforto na própria função social do gênero: o ato de documentar: “Esse registro é importante para que as gerações futuras possam conhecer um pouco sobre a trajetória de Francisco Grosso, sua relação com a arte e o modo como se dedicou a isso até o fim, seu envolvimento com movimentos da juventude, com o Slam, o que o fez quebrar todos os paradigmas para acompanhar de perto os acontecimentos da poesia na cidade”. Para Janaína, o filme precisa circular e ser entregue como memória para sua família e para a sociedade guarulhense.

Produção Audiovisual X Pandemia

A 6ª Mostra evidencia um enorme crescimento de produções em relação aos anos anteriores. Nas últimas edições, foram exibidos cerca de 24 filmes; já nessa edição, o evento conta com mais de 40 filmes, todos eles produzidos ou finalizados durante a pandemia da COVID-19. 

A própria pandemia criou um desafio adicional, dentre tantos outros, para os organizadores da 6ª Mostra. Seguindo os protocolos de segurança, ficou decidido que as exibições e os debates seriam virtuais para evitar aglomerações, muito comuns nas mostras anteriores, com a presença de grande público. 

Mesmo com os enormes desafios, a organização encontrou espaço para reinventar o formato dos debates, que neste ano contará com diversas mesas temáticas com os realizadores: documentário, filmes experimentais, criações escolares, e inclusive dos filmes realizados na quarentena. Os debates fazem parte dos princípios fundamentais do Cineclube Incinerante como meio de compartilhar conhecimentos, estimular o espírito crítico e formação de opiniões, olhares e novas sensibilidades.

A 6ª Mostra também será um lugar dos bons encontros, aquelas que afetam e potencializam público, realizadores e organizadores, que valorizam os esforços, a superação das dificuldades mas também trazem as alegrias, os desejos e os prazeres de se realizar um filme, exibi-los para um público mais amplo e debater sobre eles, e são essas as missões  essenciais do Cineclube Incinerante nos cinco anos dedicados a promover a arte e o cinema guarulhense.

Para mais informações, acesse o link do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/672481470356069/

Serviço

6ª Mostra Guarulhense de Cinema

Data: de 24 de outubro a 1º de novembro

Exibição online nas plataformas digitais do Cineclube Incinerante

Site: http://www.mostraguarulhensedecinema.com.br/

Facebook https://www.facebook.com/MostraGuarulhenseDeCinema/

YouTube https://www.youtube.com/channel/UC0EcRiYuMcQCyGRpTWLvQ4w