João Perreka e os Alambiques lançam três novas canções ao lado de artistas guarulhenses

Banda aproveitou o período de distanciamento social para produzir novos hits ao lado de amigos, tudo à distância

A partir de outubro, a banda guarulhense João Perreka e os Alambiques apresenta uma trilogia sonora com novas canções produzidas à distância, em parceria com músicos e amigos da banda. O processo de criação dessas canções, segundo João Perreka, é resultado de sua participação em um dos episódios online de Versão de Quarentena, produzidos pela banda Cyanogaster: “Os caras me chamaram para gravar aqui de casa, as vozes para um cover da música “Crua”, do pernambucano Otto. Depois disso, surgiu a chance de gravar no estúdio do baterista Ronaldo Ragonha algumas bateras de músicas que compus neste período de quarentena”. 

Foto: Drico Galdino

Nessa parceria, na qual Ronaldo gravou as baterias, foram produzidas as canções “Difícil, Macarena” e “Minha Flor”, músicas compostas por Perreka, que falam sobre as relações amorosas, histórias de amor regadas a muito swing, marca registrada da banda João Perreka e os Alambiques.

Além de Ronaldo, seu filho Denis Ragonha, que também é integrante da Cyanogaster, participa das novas produções dos Alambiques. Denis participou da pré-produção e gravação das músicas e ainda gravou as guitarras de “Macarena”. O guitarrista chileno Juan De Las  gravou as guitarras de “Difícil” e Julinha Magalhães, integrante do grupo de forró Os Passageiros, gravou os backings vocals nas músicas “Difícil” e “Macarena”.

Os integrantes dos Alambiques  também participaram do processo de produção e gravação à distância, e a mixagem e masterização do projeto ficaram por conta do músico e produtor Claudio Erlam, do Estúdio LeChat Áudio. 

A arte desta trilogia sonora será assinada pelo ilustrador guarulhense Adriel Contieri, artista que criou a capa da música “Teu Café”, canção que João Perreka lançou em agosto deste ano, ao lado de sua companheira, Marília Lopes.

De acordo com Perreka, os novos hits serão lançados mensalmente, a partir de outubro, pelo selo CLAM DISCOS, Perreka enfatiza ainda que os Alambiques já preparam novos projetos para o ano que vem.