Oficina de Produção Artística e Musical reúne artistas, músicos, produtores e entusiastas na sede da Associação Cultural Rock Guarulhos

Uma manhã repleta de altas ideias sobre música, produção, geração de conteúdo e compartilhamento de experiências. A produtora e musicista Ana Morena, idealizadora do Festival DoSol, e o guitarrista do power trio guarulhense Carbônica, Will Barbosa, bateram um papo com os participantes da 1ª Oficina de Produção Artística e Musical, que aconteceu na sede da Associação Cultural Rock Guarulhos (ACRG) no último sábado (20). Com um público formado por artistas, músicos, produtores, jornalistas, fotógrafos e entusiastas da área musical, e que também contou com as presenças do secretário de Cultura de Guarulhos, Vitor Souza, e da presidente da AC Rock Guarulhos, Rute Barbosa, Ana Morena compartilhou algumas das experiências mais marcantes de sua trajetória como baixista da Camarones Orquestra Guitarrística, banda instrumental do Rio Grande do Norte.

O bate papo versou sobre aspectos que envolvem o universo artístico das bandas e artistas independentes, que vai muito além de subir ao palco e apresentar seu trabalho para o público. Numa interação bastante intimista, em que os músicos demonstraram grande parceria entre seus projetos e protagonismo à frente da realização de inúmeras iniciativas de fomento da cena independente, Ana e Will ofereceram uma visão bastante geral dos caminhos que devem ser trilhados para que os músicos possam fortalecer a distribuição de suas músicas e de seu trabalho autoral.

Ana Morena ressaltou a importância de iniciativas que valorizam artistas e produtores locais, a exemplo do Festival DoSol, movimento potiguar que surgiu em 2002 a partir de um ideal de construção coletiva, criativa, colaborativa e bastante inspiradora, na qual um artista apoia o outro para juntos alcançar resultados transformadores. “É importante estabelecer conexões com bandas, artistas e produtores locais. Nesse sentido, os festivais são uma excelente oportunidade para gerar visibilidade maciça para as bandas autorais das cidades”, observou a jovem contrabaixista.

Com foco na geração de conteúdo específico para as mídias sociais, Will Barbosa, idealizador do Projeto Clam, que desde 2007 vem movimentando a cena independente por meio da maciça valorização dos artistas de Guarulhos, lembrou que todo artista deve conhecer as condições de produção e divulgação de seu trabalho. “A divulgação e apresentação de um material bem elaborado, em que é possível identificar a trajetória do artista ou banda é fundamental para que se possa alcançar canais especializados e despertar o interesse pelo conteúdo apresentado”, classificou o músico.

Nesse universo de conexão com outros artistas, festivais e condições de geração e produção de conteúdo específico, o artista vai construindo, segundo Ana e Will, uma trajetória bastante valiosa, plena de responsabilidade. A apresentação de todo esse percurso, por meio da elaboração de portfólios, releases e envio de press kit para veículos especializados, também valoriza, sobremaneira, o trabalho do artista e, portanto, deve ser foco de atenção de todo artista.

Música na Rua

O Projeto Música na Rua, idealizado pelo Projeto Clam, iniciativa da Prefeitura de Guarulhos e realização do FunCultura, lei de incentivo à cultura do município de Guarulhos. atendeu ao objetivo de capacitação de artistas e culminou com shows das bandas Carbônica e Camarones Orquestra Guitarrística e do cantor e compositor guarulhense Victor Cali, no Calçadão da Rua Dom Pedro II, no centro de Guarulhos. O Projeto prevê ainda a oferta de mais três oficinas em espaços culturais e shows em locais de grande circulação de pessoas.

De acordo com Will Barbosa, idealizador do Projeto Música na Rua, as próximas atividades devem ocorrer nas regiões de Bonsucesso, Cecap e Taboão. “Nosso objetivo é trazer os artistas e seus trabalhos para a rua e dar visibilidade para seus projetos. É nosso desejo também que uns possam conhecer o trabalho dos outros, que possam abrir a mente para novas sonoridades”, vibra Will.

E já que sucesso também é uma questão de ponto de vista, o 1º encontro do Projeto reuniu no centro da cidade inúmeros artistas de diferentes vertentes, do punk ao metal extremo, sem deixar de registrar as calorosas presenças de artistas do rap e de estilos que se misturam e formam um verdadeiro caldo cultural. E que venham as novas edições.

Fotos: Carla Maio