Rush lança edição especial de Permanent Waves em comemoração aos 40 anos do disco

Produzido em janeiro de 1980, álbum se tornou um marco na carreira do trio canadense com clássicos como “The Spirit Of Radio” e “Freewill”

Por Airton Daniel

Há 40 anos, o Rush produziu o seu sétimo disco Permanent Waves com canções enxutas e diretas, ao contrário das músicas anteriores (caracterizadas por arranjos extensos e letras de pura fantasia e ficção científica), e que são marcos na carreira da banda. Para comemorar o aniversário, o trio canadense resolveu presentear os fãs com uma edição especial do disco.

É um mega box com vários itens especiais para colecionadores. A versão Super Deluxe virá com dois CDs e três discos de vinil que trazem o álbum na íntegra, versões remasterizadas e outras inéditas ao vivo, tocadas durante a turnê.

O vídeo acima mostra detalhes da caixa que entre os itens contém um livro com fotos inéditas, outro com obras de arte feitas por Hugh Syme (autor da capa original), credenciais dos músicos e cópias dos manuscritos originais de letras escritas pelo baterista Neil Peart, morto no começo do ano.

O material está em pré-venda no site oficial no valor de 179 dólares. Já no spotify, foi disponibilizado o single com as faixas “Freewill”, “Natural Science” e “The Spirit Of Radio” em versões ao vivo gravadas em Londres e Manchester.

No dia 29 de maio, os fãs poderão acessar a edição digital completa em todos aplicativos de música.

Blá, blá, blá

Em 2013, o Rush foi homenageado no Rock And Roll Hall Of Fame. Na ocasião, o guitarrista Alex Lifeson fez um dos discursos mais memoráveis da história do evento e, ao invés de agradecer o prêmio que estavam recebendo, repetiu várias vezes a frase “blá, blá, blá”.

“Tinha meu discurso escrito e estava ensaiando no caminho para o local. Mas, ficava pensando o quanto minha memória é ruim. Então, poderia simplesmente dizer ‘blá blá blá'”. Sabia que seria horrível ou até mesmo engraçado. Foi, provavelmente, um pouco de ambos”, contou tempos depois.

Para alguns, o inusitado discurso foi uma maneira que o guitarrista encontrou para fugir a obviedade desse tipo de agradecimento, onde são lembrados os familiares, amigos, empresários, cachorro, papagaio e etecetera.

Para outros, o dito pronunciamento foi uma forma de protesto encontrado por ele, para demonstrar a indignação pelo reconhecimento tão tardio das virtudes e qualidades do trio canadense.