Rock em Concerto celebra a diversidade musical em espetáculo online transmitido do Teatro Adamastor

Show reuniu a Orquestra Jovem Municipal com as bandas Carbônica, Imperial Pilots, Reboco, Trend Kill Ghosts e o músico Di.Britto

É uma grande pena que estejamos em plena pandemia, porque o espetáculo proporcionado na última terça-feira (8) pela Orquestra Jovem Municipal e pelas bandas e artistas guarulhenses no palco do Teatro Adamastor merecia ser aplaudido de pé. Com recursos federais da Lei Aldir Blanc e realizado pela Associação Cultural Rock Guarulhos, a versão 2020 do Rock em Concerto fez parte das comemorações dos 460 anos da cidade e foi um espetáculo de encher os olhos e os ouvidos.

Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

A presidente da Associação Cultural Rock Guarulhos, Rute Barbosa, destacou a importância da Lei Aldir Blanc para a realização do evento, enalteceu o envolvimento de muitos que acreditaram ser possível fazer um concerto desse porte em meio a uma pandemia e fez questão de lembrar da importância de valorizar as iniciativas culturais. “Momentos como o que esses músicos nos proporcionaram hoje ficarão eternamente nas nossas lembranças. A arte, a música, o rock têm essa capacidade,  conseguem eternizar coisas belas como as que vimos nesta noite”, definiu.

Composições autorais das bandas Carbônica (Se a Cidade Parar), Imperial Pilots (Monster Inside You), Reboco (Serpentes) e Trend Kill Ghosts (Deceivers), além da canção Anjos, do músico Di.Britto, receberam arranjos orquestrais especiais e tiveram o prazer de tocar junto com a Orquestra Jovem, regidos por ninguém menos que o maestro Emiliano Patarra, o cara mais visionário e inventivo que o universo da música guarulhense já concebeu.

“Em razão das circunstâncias, fomos obrigados a separar os músicos com biombos e a colocar estantes para que as partituras pudessem ser lidas individualmente. Enfim, estamos atendendo todos os protocolos de segurança. Apesar disso, conseguimos reunir bandas de rock com linguagens diferentes e celebramos cinco casamentos numa noite só”, brincou o maestro Emiliano Patarra, regente da Orquestra Jovem.

Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

Para o público que assistiu o espetáculo online pelas redes sociais, o Rock em Concerto também incluiu três versões de clássicos do rock: Another Brick in the Wall e Holy Diver, um medley com a introdução de uma das mais conhecidas músicas do Pink Floyd com Ronnie James Dio; Wherever I May Roam, da banda norte-americana Metallica; e Perry Mason, de Ozzy Osbourne.

Música é união

Diferente de um festival com várias bandas, em que os músicos se reúnem em data e hora marcada, se encontram no backstage e sobem ao palco para o show, o Rock em Concerto fez criar laços de amizade e respeito entre os participantes. Desde muito antes do início dos ensaios, os músicos já se reuniram nas redes sociais para compartilhar como seria o evento e cada um abraçou a causa, somaram experiências e a sagacidade de músicos brilhantes.

“Cada show é um show e um evento como esse é a soma do trabalho de todos. Estamos muito felizes pela oportunidade de contribuir, música é união”, comemora Tiago Pollon, proprietário do PSP Estúdio, que junto com seu irmão Paulo Pollon e sua esposa Stephanie Klassa, abrilhantaram o projeto com sua experiência ímpar.

Para comprovar a máxima que Tiago apontou, de que música é união, não é possível deixar de mencionar que a edição 2020 reuniu músicos verdadeiramente envolvidos com a cena musical da cidade, além de Tiago e Paulo Pollon, os também irmãos Ayka e Jamil, baixista e baterista da banda Reboco, elaboradores de conteúdo dos podcasts do Guia do Rock Guarulhos, Will Barbosa, da banda Carbônica, idealizador do Projeto Clam e do Selo de mesmo nome, que já lançou inúmeros artistas da cena independente da cidade, e o projeto Fora de Cena, idealizado pelos músicos da banda Imperial Pilots, que também atua no fomento da cena musical de Guarulhos.

Com o início dos ensaios, teve início o empresta daqui e o corre dali, uma dificuldade diferente a cada dia, e, mesmo assim, todos se ajudaram, valorizando e permitindo-se conhecer o trabalho um do outro. “acredito que o rock tem muitas facetas e cabe a nós e aos próximos não deixar que ela morra”, observou o compositor Di.Britto.

Sem sombra de dúvida, o grande diferencial da edição 2020 foi a diversidade de estilos que ela proporcionou, o que permitiu reunir o músico Di.Britto e os integrantes do Reboco no mesmo palco, trazer o Carbônica para abrir para o Imperial Pilots, garantir que o heavy metal estivesse presente com o Trend Kill Ghosts, certamente, um espetáculo épico.

Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

“Eu acabei caindo de paraquedas nesse evento e fui super acolhida, super bem recebida pela equipe de produção e pelo nosso maestro, Emiliano Patarra, que me deu o voto de confiança para tocar o concerto inteiro com a Orquestra mesmo eu não fazendo parte, pelo Tiago Pollon e a Stephanie Klassa  que o tempo todo estavam ali me apoiando e claro, por todos  os outros músicos com quem eu tive a honra de acompanhar naquele palco. Foi uma noite marcante para todos nós e, para mim, é muito prazeroso saber que eu estive ali participando e fazendo o show acontecer junto com todos vocês”, pontuou a violoncelista Sarah Kiura, aluna do Conservatório de Guarulhos e participante do arranjo da música Anjos.

E em meio a tudo isso estava a Orquestra, os jovens músicos a espionar os roqueiros com curiosidade; outros, incertos com aquela presença, alguns duvidosos com o repertório, houve também os descrentes com os arranjos, e ainda aqueles como o instrumentista Henrique Batista, violinista da Orquestra Jovem, que largou o violino para se juntar às guitarras das versões de Another Brick in the Wall, Holy Diver e Wherever I May Roam, provando a máxima do concerto: a música não conhece fronteiras.

Nada disso seria possível sem a expertise do maestro Emiliano Patarra, que acreditou no trabalho desenvolvido pela Associação Cultural Rock Guarulhos, os loucos sempre guardam algo de genialidade.
A edição 2020 do Rock em Concerto fez história no palco do Teatro Adamastor. Ficou um gosto de queremos mais, merecemos mais, vamos fazer mais!

Em tempo Joey Manzano, vocalista e guitarrista da Imperial Pilots, lembrou da criatividade dos arranjos elaborador pelo produtor musical Claudio Erlam, que não apenas valorizou a composição de cada uma das bandas como também potencializou o instrumental da orquestra, colocando os naipes em posições de grande destaque: “Estamos felizes porque nosso arranjo ficou mais do que perfeito, foi feito com carinho e tocado por todos com muita dedicação”, festejou.

Transformando o luto em luta

A realização desta edição do Projeto Rock em Concerto não foi nada fácil. De sua idealização à elaboração e aprovação do projeto pela Lei Aldir Blanc, a escolha das bandas, a construção do arranjo e ensaios das bandas com a Orquestra Jovem, todo o percurso de sua produção foi feito com atenção e muito cuidado. Nada podia sair errado, mas quem éramos nós para controlar as forças do universo?

No dia 7 de dezembro, na madrugada da véspera do espetáculo, a Associação Cultural Rock Guarulhos perdeu a fotógrafa Michele Dessibio, uma de suas colaboradoras. O impacto foi enorme, deixou a equipe sem chão e diante de tudo aquilo que havia sido feito para garantir um espetáculo perfeito, que seria coroado com os melhores cliques da fotógrafa atenta e dedicada, a AC Rock Guarulhos decidiu seguir com o evento, homenageando e agradecendo à Michele por todo seu empenho e carinho.

“Hoje é um dia muito especial, de comemoração e alegria. O projeto era um sonho e foi realizado com muitas mãos, mas infelizmente duas dessas mãos não estão mais entre nós, mãos talentosas que com seus cliques mágicos deixou a história da Associação Cultural Rock Guarulhos mais brilhante. Apesar do sofrimento, é preciso lidar com a dor com força e coragem. A Michele não está mais entre nós, mas a sua doçura, simpatia, amizade vai sempre fazer parte da nossa história. Obrigada, Mii, pelos momentos recheados de carinho e amor, obrigada pelo compromisso, que dedicou à nossa família. Esse concerto, também dedicados a você, que esteve presente em cada arranjo, notas e acordes. Nossos profundos sentimentos à família Dessibio, à família Reboco, amigos e principalmente ao nosso Diretor de Eventos, Ayka, saiba que estamos aqui por você”.

Ayka, contrabaixista do Reboco e companheiro de Michele, se emocionou com o espetáculo. “Não foi nada fácil para mim subir ao palco. Principalmente, por pensar que ela poderia estar ali, fotografando o show e ajudando como em outras ocasiões.  Obrigado a todos, estou em luto, mas vocês me fizeram superar meus medos e a tristeza da perda naquele momento”, agradeceu.

A Michele deu um significado diferente à luta da Associação Cultural Rock Guarulhos e por ela, sempre haverá luta, sempre!